DESTAQUE NA SEMANA

            Aqui alguns fatos e informações da semana que tem haver com a CULTURA RACIONAL.

 

 

1) NUM AMBIENTE A PESSOA VAI ATERRISAR

SOB PRESSÃO VAI SE VER PRODUZINDO

E SE DE AMIGAS SE CERCAR

TODOS GANHAM, INCLUSIVE O HUMOR.

 

 

 

 

 Tá dentro, junto com plantas, ficou melhor

           

            Plantas como as orquídeas, as suculentas, a espada de São Jorge e as bromélias emitem oxigênio à noite, tornado-as  boas companheiras de dormitório.

            As plantas de casa são tão boas para a sua saúde como o são para o visual e beleza da casa. O porquê.... além de despejarem oxigênio no ambiente e absorverem o dióxido de carbono, dessa refrescante ação no ar, elas também eliminam toxinas do ambiente. Pesquisa levada acabo pela NASA revela que as plantas de casa podem remover até 87% das toxinas presentes no ar num período de 24hs. Certos estudos demonstram que as plantas "plantadas" no interior aumentam a concentração e a produtividade (em cerca de 15%), reduzem os níveis de stress e aumentam o humor, fazendo delas uma ótima parceria não só para casa como também para o ambiente de trabalho.

 

Resultado de imagem para succulents

De todas as formas e cores lá estão elas para melhorar o ambiente entorno de nós.

 

            No trabalho, plantas  especialmente aquelas com  folhas largas, na sua mesa: elas  ajudam a regular a umidade e aumentam os níveis de positividade: o contemplar aquela folhagem  e a natureza nos ajuda a ficar mais relaxados e calmos, o que por sua vez  beneficia o humor no dia a dia. Plantas no interior são  belas  e úteis na atmosfera dos ambientes, ganha a vida.

           

            O ambiente interno pode acabar representando nosso refúgio ao mundo externo. Pode ser um apartamento menor ou  uma grande casa, a introdução de certas plantas na sua casa, trará boas novas na melhoria da sua saúde e na felicidade no todo. Melhorando o seu humor  e a criação de um espaço de vida, que é tranqüilizador, as plantas  ajudam a espantar a solidão ou a depressão. Cuidando de coisas vivas;   um propósito e gratificação surgem, especialmente quando você vê essas coisas vivas florescerem e prosperar.

            Para criar um cantinho do céu verde, vale a pena o esforço de dedicar um pouco de tempo escolhendo que plantas     ficam melhor em cada ambiente, com seu perfil adequado.   

Resultado de imagem para succulents

A lista dá dicas e o arranjo ficam por conta do "freguês".

 

            Aí estão os  pontos:

 

 

Resultado de imagem

Num canto mas não passa desapercebida,

uma bela muda de figueira.

 

 

Resultado de imagem para kokedama (Japanese hanging moss ball bathroom

Quem diria até o banheiro pode interagir com plantas

 

 

 

Resultado de imagem para bromelia

Bromélia traz cor e oxigena o ar numa noite revigorante.

 

 

 

            Apenas uma planta é capaz de transformar instantaneamente seu ambiente de convívio.

 

 

Resultado de imagem para succulents

Mão boa ...... ambiente bom. Uma muda pode começar numa  velha folha.

 

            Quando se é iniciante na jornada; plantas frondosas, fáceis de cultivo e a um bom custo dão acesso a atividade de melhorar o ambiente.

 

 

Resultado de imagem para Monstera deliciosa (Swiss cheese plant)

Uma costela de Adão é um ótimo passo na melhoria da área.

 

 

Resultado de imagem para planta jiboia caindo

Uma jibóia não coloca ninguém em risco e o ambiente agradece.

 

 

Imagem relacionada

Uma mudinha de hedera e um pouco de criatividade e voilà!

 

 

Resultado de imagem para Chlorophytum comosum (spider plant)

A bela gravatinha

 

            Quando o assunto é  água, vale a regra: nunca exagere. Água em excesso não é aproveitada pela planta e costuma levar a mesma à podridão. Checar a umidade na terra pode evitar que se exponha a planta aos extremos: secura  ou encharcada demais: as plantas agradecem.


 

Imagem relacionada

Suculentas de todo tipo, flor e tamanho.

 

 

Resultado de imagem para snake plants

Espada de São Jorge florida

Uma boa companhia para uma boa noite de sono.

 

 

            Pensou NASA já se viu no espaço: mais ou menos.  A  NASA apesar de se manter de olho no universo reconhece a complexa relação entre o homem e seu fundamental meio ambiente: a Terra.

            O cientista Bill Wolverton, trabalhou com o exército norte-americano,  verificando a regeneração ambiental após uma possível guerra química. Ele constatou que plantas do pântano na Flórida, expostas ao nocivo agente laranja, apresentavam um poder de eliminação da droga a que elas foram expostas. Apos um tempo o cientista migrou para a NASA, e nas plantas foi buscar agentes capazes de promover a regeneração de um ambiente degradado por química despejada pelo homem.

 

 

 

O centro Espacial Stennis da NASA, que conduz pesquisa sobre o poder de plantas em regenera um ambiente degradado pelo 'deus"  homem.

 

Resultado de imagem para bill wolverton nasa

Dr Wolverton que descobriu nas plantas um poderoso aliado em salvar nossa esfera de ar.



            O agora Programa de Garantia Ambiental da Stennis visou testar, na Terra, um ambiente capaz de garantir um meio saudável frente a degradação química, valendo  também para empreitadas no espaço.O dr Wolverton aproveitou-se de sua experiência anterior, junto ao exército norte-americanos,  e utilizou plantas para limpar as águas residuais, no Centro da NASA. Os resultados foram tão bons que até hoje seu sistema de plantas de jacintos de água estão de pé. Bem após melhorar a água foi a vez do ar!

            Em 1973 os cientistas da NASA identificaram 107 compostos químicos no ar, dentro da estação espacial Skylab: formaldeidos, benzenos, tricloroetileno, etc, etc: todos de "boa" qualidade; irritantes e cancerígenos. Nada "melhor" para aniquilar a vida, seqüestrado num ambiente artificial como a estação espacial da NASA.

            Mas não foi só no espaço que o ambiente se deteriorou: nos EUA, com o intuito de gastar menos energia no aquecimento predial, as construções foram seladas, diminuindo a circulação do ar  e com maior presença de  materiais sintéticos,  que inundaram a construção, construindo a figura da SÍNDROME DA EDIFICAÇÃO DOENTE, para dano de quem nela entrasse. As toxinas presentes nesses ambientes selados: com as  pessoas ali no caminho da doença: "maravilha" tecnológica!

            O dr Wolverton, partindo dessa "maravilha moderna", tentou buscar agentes que amenizassem a encrenca. Num relatório da NASA, de 1989, o cientista apontou para a fonte de manter um ambiente (terráqueo ou espacial) favorável à vida: PLANTAS!

            Veio o BIOHOME:  um ambiente testado pela NASA, construído com base nos materiais sintéticos nocivos à vida, junto colocaram plantas. Antes de inserirem as plantas as pessoas (os cobaias nós) experimentavam olhos ardidos e problemas respiratórios, as coisas mais óbvias, que caracterizam a Síndrome da Edificação Doente. E deu-se passagem às plantas, ocupando o espaço doentio. A análise posterior  constatou que a maioria dos químicos, anteriormente presentes no ambiente, haviam sido removidos pelas plantas!!!

           

 

Resultado de imagem para Sick Building Syndrome

A Síndrome da Edificação Doente.

Uma casa ou uma arapuca moderna química: o dilema de quem insiste em confiar na modernidade do artifício.

 

Resultado de imagem para Sick Building Syndrome

 Coisinhas que a casa nova (moderna) dá de brinde para seu "inoportuno" ocupante.

 

Imagem relacionada

Nada como o convívio  'saudável' de uma família moderna no seu: " lar doce lar"!

 

            No seu livro: "50 plantas de casa que purificam seu ar no lar ou escritório", o cientista Wolverton  explica o mecanismo pelo qual as plantas combatem a presença de toxinas no ar e as variedades de plantas mais eficazes no combate à poluição disseminada no ambiente interno: MORAL DA HISTÓRIA: AO ENTRAR NA CASA\TRABALHO TIRE OS SAPATOS E COLOQUE A MÁSCARA!!!

            Resultado de imagem para Sick Building Syndrome

O negócio são os resultados, pelo caminho ficam combatentes úteis à época,

dispensáveis é claro.

Resultado de imagem para Sick Building Syndrome

Você já viu reunião de trabalho dessas?

Não é medo de vírus, é algo menor e pior.....

Tem gente desinformada por aí.......


 





            A pesquisa também descobriu que as plantas desempenham um papel psicológico no bem-estar das pessoas e que há uma recuperação mais rápida das doenças na presença de plantas, segundo a NASA. O dr Wolverton trabalhou mais de 30 anos como cientista do governo norte-americano.

            Por isso um "banho de floresta" (não é de loja não)  ajuda a desestressar a pessoa. Gastar um tempo numa área arborizada faz bem para a mente, o corpo e o espírito, segundo os cientistas.

           



Imagem relacionada

Nova forma de tomar banho: o 'banho de floresta" a ajuda da Natureza no reequilíbrio do corpo-mente.

 

            Uma pessoa habitual passa a maior parte do tempo dentro de edificações: um pc pela frente ou curvado ao telefone, a vegetação, se muito faz parte decorativa da parte externa!

            " Estar ao ar livre implica que a pessoa estará fisicamente ativa, com movimentação articular, soltando o corpo, diminuindo a rigidez crônica"      declarou o dr Jay Lee, médico do Colorado.      

            " Além disso, participar de atividades junto á natureza, vai fazer você se distanciar do seu celular, permitindo que a pessoa se concentre em si mesma e no que está fazendo" disse o dr Francis Neric diretor sênior do American College of Sport Medicine. E a chance de pegar um vírus é menor pois o ambiente amplo e naturalmente ventilado não favorece isso.

 

             "O frio e a gripe ocorrem no inverno porque as pessoas estão amontoadas em ambientes fechados, onde é mais provável que estejam expostos a esses vírus", diz Lee.
            Além de aumentar seu nível de atividade, sair de um parque, jardim ou entre muitas árvores também é ótimo para seu bem-estar mental.

             "A natureza pode ser benéfica para a saúde mental", afirmou a drª Irina Wen, Ph.D., psicóloga clínica e diretora clínica da Clínica de Família Militar Steven A. do Centro Médico NYU Langone.

             "Reduz a fadiga cognitiva e o estresse e pode ser útil com depressão e ansiedade".

            A pesquisa mostrou que o "banho de floresta", a prática de gastar tempo em uma área florestada, em um esforço para colher recompensas de bem-estar, é muito boa para nós. Essa prática comum no Japão anda invadindo os EUA.
            Um estudo de 2010 publicado em Saúde Ambiental e Medicina Preventiva descobriu que as pessoas  que caminhavam em uma floresta tiveram pressão arterial mais baixa e níveis de cortisol (o hormônio do estresse) menores  do que aqueles IMERSOS no ambiente urbano.


            "Nós nos concentramos em permitir que a natureza desperte os sentidos" declarou Hope Parks instrutora de bem estar no Tennesse. "Quando você faz uma caminhada ou caminhe pela floresta lá - sem qualquer distração tecnológica, é provável que você perceba até mesmo os menores detalhes ao seu redor", declarou  Parks.

            "E se você fechar os olhos, você pode ouvir os riachos mais profundamente", acrescentou.

 


            Julia Goren, diretora de educação praticou o 'banho de floresta':

           

          "Foi tremendamente pacífico, relaxante e centrado. Nós fomos por uma caminhada silenciosa, ouvindo os sons do vento através das agulhas de abeto, o aparecimento de árvores e o som  ocasional de pássaros".


            Goren declarou  que o foco na quietude a ajudou a se sentir parte da comunidade natural maior - e ela se sentiu mais relaxada.

            Segundo a reportagem da NBCnews você não precisa entrar na floresta amazônica para o "banho de floresta" acontecer: qualquer espaço verde trará benefícios saudáveis.
 

 

Imagem relacionada

O educador Krishnamurti, espontâneo na sua vida, integrado na Natureza.

Resultado de imagem para Shinrin-yoku

 

           Um estudo realizado no Japão, em 24 florestas do país, mostrou que o 'banho de floresta' traz efeitos fisiológicos benéficos para a pessoa. O termo Shinrin-yoku foi cunhado pelo Ministério da Agricultura, Sivilcutura e Pesca do Japão, em 1982: podendo ser definido como o contato com a ATMOSFERA DA FLORESTA. Foi realizada a pesquisa por cientistas japoneses, publicada na revista de saúde do governo dos EUA.  O nível do hormônio cortisol (hormônio do stress) na saliva, a pressão arterial, a freqüência cardíaca, e a variação das batidas do coração e eletrocardiograma foram verificados nas pessoas estudadas: 280 no total, que foram expostas à floresta e à cidade em momentos diferentes. Um  grupo  ia tomar "banho de floresta' e o outro  ia à cidade. Nos dias posteriores eles trocavam o roteiro, para se fazer o comparativo.

            Os resultados da pesquisa:  os ambientes florestais  diminuem os níveis do hormônio do stress; o cortisol, reduz a freqüência cardíaca e a pressão arterial com menor atividade simpática(stress) e maior atividade para-simpática (relaxamento). Nos ambientes urbanos o resultado foi oposto.

            Os autores chegaram a denominar o resultado da pesquisa de MEDICINA FLORESTAL, como estratégia para a  ação da  medicina preventiva.

 

            Leia a reportagem da NBCnews sobre os benefícios do banho de floresta:

 

Veja resumo da pesquisa científica realizada no Japão sobre os benefícios do banho de floresta:

 

 

        Leia reportagem da NBCnews sobre os benefícios de trazer as plantas para dentro dos ambientes:

 

        Relatório da NASA sobre os benefícios das plantas na queda de braço com os venenos modernos:

Resultado de imagem para montanha retiro racional rj

O Retiro Racional: um banho de Luz Racional,

num ambiente naturalmente dominado por uma serra espetacular.

 

 

                E assim caminha o homem nos trôpegos passos de animal Racional ao término da fase de Animal Racional.

                Quando vê falta ambiente em casa e no trabalho, muito além da esfera humana, detonando o pulmão, o sangue e companhia no reinado do progresso artificial capitaneado pela infeliz inconsciência: um brilho sem cor.

                Gratos à  Mãe Natureza que, frente a contínua baixaria humana, ainda nos permite regenerar ambientes contaminados com as belas e úteis plantas.

                Numa sociedade empurrada cada vez mais para o caos e violência das cidades, o banho de floresta resgata o vínculo visceral do homem com sua origem na Mãe Natureza. Por melhor e atualizado que seja o sistema operacional a atmosfera gerada e ofertada pela natureza se mostra inigualável na sustentação da vida,  a pessoa no balaio.

 

            Frente aos resultados das pesquisas do Japão e da NASA além dos outros cientistas, fica hoje confirmado o alerta do RACIONAL SUPERIOR, na Sua Obra: O LIVRO UNIVERSO EM DESENCANTO desde 1935, para os percalços do progresso do artifício: promete um montão de coisas, entregando um entulho de encrencas em diversos níveis: haja plantas para consertar o estrago, já que cortar as florestas é uma atividade "essencial" do progresso artificial.

            O homem, como animal Racional, se mostra num caminho atabalhoado, mais perdido do que peru em véspera de Natal. Se o equilíbrio anda cada vez mais escasso, dedicar um pouco de tempo às plantas e ao ambiente florestal ajudam a dar cor à vida. Conhecer-se RACIONALMENTE também insere a pessoa no melhor dos ambientes: o do 1º Mundo RACIONAL.

           

            A Natureza é a  generosa mãe da vida,  saber  sua  sustentação  RACIONAL abre caminho natural para o 1º mundo: o MUNDO RACIONAL. Se a sustentadora da vida, no 2º mundo deformado e aparente, se empenha pela vida o que dirá da base RACIONAL, CAUSA PRIMEIRA.

 

 

 

 

 

 

 

         MAIS ARQUIVOS:

            semana: 10 - 16 julho(2) 2017:

            semana:  10 - 16 julho 2017:

            semana: 03 - 09 julho 2017:

            semana: 26 junho - 02 julho 2017:

            semana: 19 - 25 junho 2017:

            semana: 12 - 18 junho 2017:

            semana:  05 - 11 junho 2017:

            semana: 10 - 16 abril 2017:

            semana: 03 - 09 abril 2017:

            semana: 20 - 26 março (4) 2017:

            semana: 20- 26 março (3) 2017:

            semana: 20 - 26 março (2) 2017:

            semana: 20 - 26 março 2017:

            semana: 13 - 19 março 2017:

            semana: 06 - 12 março 2017:

            semana: 13 - 19 fevereiro 2017:

            semana: 06 - 12 fevereiro(2) 2017:

            semana: 06 - 12 fevereiro 2017:

            semana: 30 janeiro - 05 fevereiro 2017:

            semana: 23 - 29 janeiro 2017:

            semana: 16 - 22 janeiro 2017:

            semana: 09 - 15 janeiro 2017:

            semana: 05 - 11 dezembro 2016:

            semana:  07 - 13 novembro 2016:

            semana:  24 - 30 outubro 2016:

            semana: 17 - 23 outubro 2016:

            semana: 10 - 16 outubro 2016:

            semana: 03 - 09 outubro 2016:

            semana: 12 - 18 setembro 2016:

            semana: 05 - 11 setembro 2016:

            semana 29 agosto - 04 setembro (2) 2016:

            semana:  29 agosto - 04 setembro 2016:

            semana : 22- 28 agosto (5) 2016:

            semana : 22-28 agosto (4) 2016:

            semana: 22 - 28 agosto (3) 2016:

            semana: 22 - 28 agosto(2) 2016:

            semana: 22 - 28 agosto 2016:

            semana: 15 - 21 agosto(5) 2016:

            semana: 15 - 21 agosto(4) 2016:

            semana: 15-21 agosto (3) 2016:

            semana: 15 - 21 agosto(2) 2016:

            semana: 15 - 21 agosto 2016:

            semana: 08 - 14 agosto 2016:

            semana:  01 - 07 agosto 2016:

            semana: 11 - 17 julho 2016:

            semana: 13 - 19 junho 2016:

            semana: 06 -12 junho 2016 (2):

             semana: 06 - 12 junho 2016:

            semana: 30 maio - 05 junho 2016:

            semana: 23 - 29 maio 2016:

            semana: 16 - 22 maio 2016 (2):

            semana: 16 - 22 maio 2016:

            semana: 09 - 15 maio 2016(2):

            semana: 09 - 15 maio 2016:

            semana:  02 - 08 maio 2016:

            semana: 14 - 20 março 2016:

            semana: 07 - 13 março 2016 (2):

            semana:  07 - 13 março 2016:

            semana: 29 fevereiro - 06 março 2016 (2):

            semana: 29 fevereiro - 06 março 2016:

            semana: 15 - 21 fevereiro 2016:

            semana: 01 - 07 fevereiro 2016:

            semana: 25 - 31 janeiro 2016:

            semana: 23 - 29 novembro 2015:

            semana: 16 - 22 novembro (3) 2015:

            semana: 16 - 22 novembro (2) 2015:

            semana: 16 - 22 novembro 2015:

            semana: 09 - 15 novembro (2) 2015:

            semana: 09 - 15 novembro 2015:

            semana: 28 setembro - 04 outubro 2015:

            semana: 21 - 27 setembro 2015 (3):

            semana: 21-27 setembro 2015 (2):

            semana: 21 - 27 setembro 2015:

            semana: 07 - 13 setembro 2015:

            semana: 24 - 30 agosto 2015:

            semana: 17 - 23 agosto 2015:

            semana: 10 - 16 agosto 2015:

            semana: 03 - 09 agosto 2015:

            semana: 27 julho - 02 agosto 2015:

            semana: 13 - 19 julho 2015:

            semana: 06 - 12 julho 2015:

            semana: 29 junho - 05 julho 2015:

            semana: 22 - 28 junho 2015:

            semana: 15 - 21 junho 2015:

            semana: 08 - 14 junho de 2015 (2):

            semana: 08 - 14 junho de 2015:

            semana:  01 - 07 junho de 2015:

            semana: 25 - 31 maio 2015:

            semana: 18 - 24 maio 2015:

            semana: 11 - 17 maio 2015:

            semana:  06 - 12 abril 2015:

            semana: 30 março - 05 abril 2015:           

            semana: 16 - 22 março 2015:

            semana: 09 - 15 março 2015:

            semana: 26 janeiro - 01 fevereiro 2015:           

            semana: 19-25.. janeiro 2015:

            semana: 19-25. janeiro 2015:

            semana: 19-25 janeiro 2015:

            semana: 12 - 18 janeiro 2015:

            semana: 05 - 11 janeiro 2015:

            semana: 10 - 16 novembro 2014:

            semana:  03 - 09 novembro 2014:

            semana: 27 outubro - 02 novembro 2014:

            semana: 20 - 26 outubro 2014:

            semana: 13 - 19 . outubro 2014:

            semana: 13 - 19 outubro 2014:

            semana: 06 - 12 outubro 2014:

            semana: 29 setembro - 05 outubro 2014:

            semana: 09 - 15 junho 2014:

            semana: 26 maio - 01 junho 2014:

            semana: 19 - 25 maio 2014:

            semana: 12 - 18 maio 2014:

            semana:   05 - 11 maio 2014:

            semana: 21 - 27 abril 2014:

            semana: 14 - 20 abril 2014:

            semana: 07 - 13 abril 2014:

            semana: 24 - 30 março 2014:

            semana: 03 - 09 fevereiro 2014:

            semana: 27 janeiro - 02 fevereiro 2014:

            semana: 20 - 26 janeiro 2014:

            semana: 13 - 19 janeiro 2014:

            semana: 06 - 12 janeiro 2014:

            semana:  02 - 08 dezembro 2013:

            semana : 04 - 10 novembro 2013:

            semana:  21 - 27 outubro 2013:

            semana: 14 - 20 outubro 2013:

            semana:  30 setembro - 06 outubro 2013:

            semana: 23 - 29 setembro 2013:

            semana:  02 - 08 setembro 2013:

            semana: 26  agosto - 01 setembro:

            semana: 19 - 25 agosto 2013:

            semana:  29 julho - 04 agosto 2013:

            semana:  08 - 14 julho 2013:

            semana: 17 - 23 junho 2013:

            semana: 20 - 26 maio 2013:

            semana: 04 - 14 abril 2013:

            semana: 25 - 31 março 2013:

            semana: 04 - 10 março 2013:

            semana: 21 - 27 janeiro 2013:

            semana:  06-12 dezembro 2012:

            semana :  05 - 11 novembro 2012:

            semana:  22 - 28 outubro 2012:

            semana: 08 - 14 outubro 2012:

            semana: 10 - 16 setembro 2012:

            semana:  03 - 09 setembro 2012:

            semana: 27 agosto - 02 setembro 2012:

            semana: 01-05 agosto 2012: