MEMÓRIAS RACIONAIS

 

A CULTURA RACIONAL NASCEU EM 1903.

            TEM PORTANTO UMA LONGA HISTÓRIA DA QUAL MUITOS DÃO O SEU DEPOIMENTO COMO TESTEMUNHAS DA EVOLUÇÃO RACIONAL AO LONGO DAS VÁRIAS FASES QUE TRANSITOU A CULTURA RACIONAL DESDE O SEU BERÇO.

 

         A PERGUNTA QUE NÃO DEVIA SER FEITA.           

 

        Foi numa noite de 3ª feira (em 1979) de plantão Racional no Retiro Racional.

        O silêncio, a calma e a imponente presença do contorno da montanha davam uma sensação de profundo bem estar.

        Naquela noite, o MESTRE  MANOEL JACINTHO COELHO, fez os plantonistas entrarem na varanda da sua residência para lhes apresentar uma estátua que fora ofertada à Ele: uma estátua de mais de um metro de altura, representando a figura de São Francisco de Assis. Tinha o vestuário típico dos franciscanos, afivelado à cintura por um cordão, também típico dos franciscanos, donde pendia um rosário. Na mão direita segurava um livro, ao pé da escultura um crânio humano, e apontando para frente empunhava na mão esquerda um crucifixo.

 

            O MESTRE MJC disse aos plantonistas que São Francisco de Assis já tinha se apresentado à ELE por 4 vezes naquela aparência tradicional, em corpo de energia.

Estátua de São Francisco de Assis.

 

            Então começou o SR MJC a explicar o significado à que correspondiam os objetos constantes na estátua.

            _"O livro na mão direita era o livro da salvação eterna  daqueles que passaram a se conhecer e a saberem com base e lógica Racionais de onde vieram, o porquê vieram, para onde vão e como vão: o Livro da Redenção RACIONAL da humanidade."

            _" O cordão afivelado à cintura correspondia ao abuso do livre-arbítrio e da livre e espontânea vontade que impera na humanidade, o qual leva ao estrangulamento da vida dos homens e mulheres por se enrolarem na corda das conseqüências de viver sem saber o porquê, não tendo com Quem contar e onde se agarrar pela falta do Conhecimento RACIONAL."

            _" O rosário correspondia ao rosário da vida de cada vivente. Cada conta um sobressalto na vida do homem preso à condição de animal Racional, vivendo desconhecido de si mesmo e por isso sujeito à todos os assaltos das monstruosas energias da deformação. Só no reencontro com a Nossa Origem Racional, o homem vai se ver livre do pesadelo da vida da deformação como animal Racional."

            _" O crânio é a correspondência do término da  fase de animal Racional, com a conseqüente perda da sustentação energética pela Natureza do homem na  condição de animal Racional. Para enfrentar os efeitos avassaladores do término da fase de animal Racional só contando com a proteção da ENERGIA RACIONAL , da Nossa Verdadeira Origem RACIONAL."

            

            Entre cada explicação, dada de forma calma e pausada , como era de costume do SR MJC, ELE olhava pausadamente para os plantonistas que ouviam com atenção, em silêncio.

            Ao término de explicar o 4º objeto na estátua, foi feita uma longa pausa. O SR MJC estava à 1 metro e meio de distância dos plantonistas que faziam um semi-círculo, com a estátua colocada sobre uma mesa bem na frente do Mestre.

            Todos mantinham silêncio pois ainda restava a explicação do 5º e último objeto contido na estátua de São Francisco de Assis: um crucifixo seguro pela mão esquerda,  apontado à frente.

            Naquela longa pausa, frente ao olhar sereno e penetrante do SR MJC , brotaria como seqüência a pergunta sobre o significado do 5º objeto.

            Porém, sobrepujando qualquer curiosidade, os plantonistas mantiveram o silêncio e por ninguém foi feita a pergunta sobre o significado do 5º objeto.

            Uma pergunta não devia ser feita. Uma resposta seria um elemento impróprio frente ao titânico significado.